Eros e a Psiquê



Eros e Psiquê

Baseado em 13 avaliações
  • 285 Alunos matriculados
  • 01 Hora de duração
  • 1 Aulas
  • 1 Módulos
R$ 50,00 à vista
Comprar Agora Dê um passo adiante em sua carreira!

"Agora ficou mais claro como devo e posso atuar nesse planeta, vivendo mais feliz. Deixar Eros agir é a chave da alegria de viver. Namaste!"
Valdemar Cardoso
mais avaliações

Mitologia Analítica é uma terapia que visa facilitar à pessoa identificar qual o Mito e Arquétipo que está vivenciando. Os resultados na vida prática mudam drasticamente quando há a mudança de Mito e Arquétipo. Com isso a pessoa encontra o Mito e Arquétipo que deveria estar vivenciando para ser feliz e evoluir.

---

Eros - O deus do amor

Eros é o deus do amor, filho de Afrodite e Ares.  Chegou a ser descrito por alguns poetas como o deus de olhos vendados que com seu arco e flecha poderia atingir qualquer ser humano, e assim, fazer com que esse ser se apaixonasse pela primeira pessoa que visse.

Eros vendado ou não, temos aqui a representação de que o amor é uma energia que flui no universo, e quando bem impulsionado, representado pelo arco e a flecha, simplesmente atinge seu alvo e se manifesta onde é recebido. Digamos que as flechas de Eros acertam aqueles que de alguma forma estão abertos para receber a energia do amor.  Eros vendado tanto pode representar a cegueira da paixão, como pode também representar o amor original que simplesmente ama a todos, indiscriminadamente, despojado de qualquer preconceito, está no ar, para todos que se conectarem a ele e estiverem livres para recebê-lo.

Hesíodo o descreve como o mais belo dos deuses que atinge os corações de mortais e imortais que ficam perdidos de amor.

Eros tem o poder de ordenar e unificar. Para os romanos, Eros é identificado com o Cupido, algumas vezes representado como um belo jovem alado; as asas também são representações de mobilidade e leveza, algo que se move pelo ar, o próprio amor.

A imagem de Eros durante o Renascimento foi mantida como sendo um menino, lembrando a figura de um anjo.

Na mitologia mais antiga acredita-se que Eros é anterior a Afrodite, mas em todas as versões de sua origem, Eros (Amor) é a força preponderante na ordem do universo.

No início era venerado na forma de uma pedra comum, demonstrando sua conexão com a origem do mundo. Posteriormente, a imagem que temos dele até os dias de hoje substituiu a pedra inicial.

Eros é a força primitiva da natureza, a união da harmonia e do poder criativo, o amor que a tudo gera e dá origem.

O arquétipo de Eros,  do Amor,  nos leva a assumir  o papel de organizadores  de nossa própria jornada, cada vez mais conscientes de nossas responsabilidades; o Amor tempera a Vida com Alegria, e quando nos permitimos receber,  sentir e pensar o Amor, tudo pode acontecer, se realizar, por isso o Amor é percebido como algo mágico que está no ar.

 

Silvia Marto

Mitoanalista

www.mitologiaanalitica.com.br 

4 anos Sem tempo para fazer o curso agora? Não tem problema.
Você poderá participar desse curso até 4 anos após a matrícula.

Aos estudantes de Arquétipos, Mitologia, O Soltar e de todo o material do Prof. Hélio Couto.

Helio Couto
"Escritor e palestrante."

           

Desde criança que procurei a resposta para as três perguntas fundamentais:

 

De onde vim?

 

O que estou fazendo aqui?

 

Para onde vou?

 

Encontrar as respostas sempre foi a busca de uma vida inteira. Isso fez com que lesse tudo que encontrasse pela frente e passasse as horas livres na biblioteca da cidade. Com o passar do tempo fui diversificando as leituras para entender o que já tinham descoberto sobre isso.

 

Depois de muita pesquisa e experimentação cheguei à conclusão de que o conhecimento da Centelha Divina é a coisa mais importante que se pode descobrir. Porque esse conhecimento quando for generalizado resolve todos os problemas que existem neste planeta.

 

Enquanto isso não acontece no geral, cada um pode fazer a sua parte aceitando a Centelha Divina e caminhando firme no rumo da Iluminação Espiritual.

Conteúdo Programático

  • 1. Eros e a Psiquê
Voltar ao topo